Представяне по теми

  • Introdução

    Os media (digitais) são muito relevantes para os interesses das crianças mais jovens. Mesmo as crianças mais novas estão a jogar em tablets ou smartphones e a aproveitar os sons engraçados e as imagens em movimento. Para crianças com idades entre os três e os seis anos, os media são principalmente as histórias narradas ou os brinquedos. As crianças são normalmente incapazes de prever o impacto e as consequências do seu uso dos media. Por isso, é importante incluir o tema dos media na educação e cuidados na primeira infância, a fim de introduzir junto de crianças em idade pré-escolar uma abordagem competente e crítica dos media desde tenra idade.

  • Sobre este módulo

    Através deste curso será capaz de…

    • Adquirir conhecimentos sobbre o mundo dos media para crianças entre os 3 e os 6 anos
    • Identificar diferentes tipos de media e como são percebidos pelas crianças
    • Identificar caraterísticas das ofertas dos media adequados às crianças
    • Compreender porque o conteúdo dos media pode sobrecarregar
    • Saber como apoiar os pais

    In this module…

    • Conselhos práticos serão dados
    • Atividades que o ajudarão a compreender melhor o conteúdo e a se preparar para a avaliação
    • Links externos o guiarão para mais informações
  • Media Infantil

    Todos os dias, as crianças experimentam a riqueza dos media: a visão constante do telemóvel inteligente de um adulto a ler o jornal pela manhã, a ouvirem rádio durante o jantar ou a assistirem aos telejornais na televisão. Na maioria dos casos, essas ofertas dos media não as abordam diretamente, mas são usadas por outras pessoas na presença delas. Eles só observam o usuário real.

    É um fato que os media muitas vezes estruturam a vida quotidiana da família. Ler e ouvir o rádio pela manhã ou assistir ao noticiário da noite faz parte da rotina diária da família. Quais os media que as crianças usam e conhecem, em que conteúdo elas estão interessadas e quanto tempo elas gastam depende em grande parte dos hábitos de uso de suas famílias. Pais e irmãos são modelos importantes para crianças em idade pré-escolar, que eles seguem em suas avaliações de ofertas dos media e seu comportamento.

    No caso de crianças em idade pré-escolar, o apoio constante e ativo das crianças em seu uso dos media por especialistas em educação e pais também desempenha um papel importante. Os pais e profissionais de educação e cuidados na primeira infância por exemplo, protegem as crianças de conteúdos inapropriados por idade, selecionando ofertas dos media apropriadas.

    As crianças em idade pré-escolar também precisam da ajuda dos pais e da equipe pedagógica para lidar com (sobrecarregar) as experiências dos media as experiências dos media e desenvolver suas próprias estratégias de processamento. É crucial que os adultos saibam que conteúdo pode sobrecarregar as crianças, por que isso pode perturbá-las ou amedrontá-las, por exemplo, e quais métodos são úteis para lidar com experiências negativas dos media. Estar com as crianças quando elas usam os media também significa ajudá-las a se tornarem independentes. Em particular, o monitoramento rigoroso das crianças cria um ambiente protegido para ganhar suas próprias experiências.

  • Suporte no Jardim de Infância

    Os jardins de infância oferecem apoio importante a crianças e pais na forma de pedagogia dos media. Os profissionais do jardim de infância podem, por exemplo, aconselhar os pais sobre questões e dificuldades da vida cotidiana com o media ou ajudá-los com a avaliação das ofertas dos media, bem como com o uso dos media apropriada para o desenvolvimento e a idade. Os profissionais de jardim de infância podem familiarizar as crianças com o tema dos media de maneira lúdica e apropriada à idade e acompanhá-las sistematicamente no processamento de experiências dos media (negativas).

    No apoio ao uso dos media para crianças, os profissionais de educação de infância podem contribuir com seus conhecimentos para que, por exemplo, descobertas científicas importantes e aspetos psicológicos do desenvolvimento também sejam levados em conta. Dessa forma, nos jardins de infância estendem e complementam o apoio dos pais ao seu trabalho e fortalecem a literacia mediática das crianças em idade precoce.

  • Media para crianças entre três e seis anos de idade

    Foram realizados estudos que fornecem ideias úteis e importantes para identificar tendências e compreensão do atual comportamento mediático de crianças dessa faixa etária.

    Para esta faixa etária específica, apenas alguns resultados sobre experiências dos media e a extensão do uso dos media estão disponíveis até o momento. No entanto, os estudos disponíveis mostram como o uso dos media se desenvolve entre crianças entre três e seis anos de idade e quais os aspetos que desempenham um papel nesse desenvolvimento.

    • Alguns resultados do estudo CRESCENDO ENTRE ECRÃS. USOS DE MEIOS ELETRÓNICOS POR CRIANÇAS (3-8 ANOS) serão apresentados neste módulo. Mais detalhes sobre os resultados deste estudo podem ser encontrados na página do mesmo (em Português e Inglês).
    • Também o volume "Boom Digital?" integra textos de especialistas e de profissionais nacionais e internacionais que refletem, em relação à sociedade portuguesa e a estudos realizados noutros países europeus, sobre o modo como as crianças mais novas (3 aos 8 anos) estão a crescer em contacto com a tecnologia digital, os usos que fazem dos ecrãs, as competências e literacias que vão adquirindo, as situações de dano que podem experimentar e os modos como as famílias intervêm nessa socialização digital. O relatório é do ano de 2018 está disponível na página da Entidade Reguladora da Comunicação (em Português).

    Os media em casa

    Muitas famílias portuguesas com crianças, entre os três e os seis anos de idades, têm acesso a uma gama variada de dispositivos media. Existem noventa e nove por cento de casas portuguesas com pelo menos uma televisão e noventa e dois por cento com um telemóvel. Também setenta por cento das famílias têm computador portátil e sessenta e oito por cento têm tablet.

    Equipamentos das Crianças

    Em Portugal as crianças entre os três e os seis anos utilizam mais frequentemente o tablet, seguida das consolas móveis. Com as famílias, as crianças desta idade costumam aceder à internet através do tablet para ver televisão, desenhos animados e jogar.

    Atividades Favoritas

    De entre as atividades de lazer favoritas por crianças desta idade, onde desfrutam de dispositivos media, destacam-se: ouvir música ou rádio, praticar desportos, fazer música, jogar jogos de computador, ir ao cinema ou ouvir rádios.

    Crianças e Televisão

    A televisão é um dos recursos mais apreciado pela maioria das crianças portuguesas, assistindo diariamente a programas televisivos. O tempo médio diário de visualização de programas televisivos é de uma hora e quarenta e um minutos, com maior tempo durante o fim de semana. As crianças entre os três e os seis anos costumam, na sua maioria, ver programas televisivos que não são desenhos animados, como por exemplo programas sobre a natureza. Quanto aos canais preferidos pelas crianças portuguesas desta idade, e segundo os pais, o canal Panda ou o canal Disney são os canais visualizados com maior frequência.

    Preferências entre os Três e o Seis Anos de Idade

    Crianças entre as idades de três e seis anos percebem os media como objetos. Elas estão ocupadas em compreender e explorar o mundo real e, nesse sentido, exploram o ambiente que as rodeia com curiosidade e querem descobrir os media através dos objetos como a TV, o telemóvel, o tablet, o computador, a máquina fotográfica, entre outros. As preferências na utilização destes dispositivos dos media centram-se na utilização de jogos e na realização de tarefas (ex. pintar), que varia de acordo com o género da criança. Em termos gerais as crianças privilegiam atividades em que se sentem capazes de realizar de forma autónoma e que compreendem o que lhes é pedido (ex. recurso a imagens em vez de texto escrito), mas apreciam a companhia de adultos para os ajudarem a encontrar recursos do seu interesse (ex. pesquisas online) ou a aceder a músicas ou vídeos (ex. Youtube).


  • Media como parte da vida quotidiana

    Os media digitais são, hoje, parte integrante do quotidiano das crianças e são importantes companheiros no caminho da vida adulta, pois podem, por exemplo, apoiá-los no enfrentamento de importantes questões de desenvolvimento, como linguagem, regras sociais e identificação de gênero. Os media têm diferentes funções, dependendo da faixa etária.


    Quando as crianças em idade pré-escolar conhecem os diferentes media e entendem o seu potencial uso, isso já é um bom passo no caminho para o tratamento responsável dos media. Por exemplo, as crianças podem entender melhor que os adultos usam os media não apenas para entretenimento, mas também como ferramentas de trabalho. Eu recomendo que você fale, faça pinturas ou crie colagens junto com as crianças para abordar o tema dos media de uma maneira apropriada à idade e ao desenvolvimento.

    Os diferentes papeis dos media

    As crianças entre os três e os seis anos percecionam os media como objetos. Elas estão ocupadas a agarrar e compreender o mundo real e nesse sentido elas exploram curiosamente o ambiente que as rodeia e desejam descobrir os media como objetos.

    Os media são usados como fonte de orientação por crianças entre os três e os seis anos de idade. Nos media, as crianças descobrem muitos modelos de papéis diferentes, por vezes questionáveis. A formação de valores é, também, influenciada pelos media. Desde tenra idade, as crianças experimentam diferentes padrões de comportamento que observam através dos media e reproduzem o seu conteúdo. Existem crianças que precisam de orientação e suporte dos adultos no sentido de serem capazes de clarificar e processar o que experienciam com os media.

    Os media também são importantes fonte de conhecimento e assumem um papel decisivo na pesquisa de informação. Adicionalmente, os livros, filmes e peças de rádio são importantes fontes de informação. Os programas de televisão dirigidos a crianças apresentam informação apropriada para a idade das crianças. Hoje, é comum encontrar-se websites adequado para as crianças com informações sobre esses programas da TV, que tem em consideração as necessidades das crianças. Aqui, crianças, acompanhadas por adultos, podem facilmente e divertidamente descobrir novas coisas.


    Estabeleça regras claras para o uso dos media e ajude as crianças a se orientarem melhor ao lidar com eles. Assim, é importante que nos jardins de infância, mas também nas famílias, se estabeleçam regras plausíveis para o uso dos media com as crianças. Tais regras podem ser, por exemplo: o tempo de uso dos media é limitado; quais os recursos media que são proibidos em certas situações, por exemplo: enquanto se come; ou que recursos media são adequados para crianças e que estas podem usar. Um cartaz com as regras da casa seria útil para as crianças, de modo a que elas saibam que existem algumas limitações na utilização dos media que devem ser cumpridas.

    A amostra de um poster para Regras de casa está pronto para ser descarregado.


    Os media tornam-se normalmente companheiro de brincadeira para as crianças que usam programas de desenho no computador, tablets ou telemóveis inteligentes. Para crianças a partir de três de idade, existem programas recomendados que elas podem usar sob a supervisão de adultos. As personagens dos media de livros e televisão também podem se tornar companheiros de brincadeira nas fantasias infantis.

    Quando se trata do uso dos media nesta faixa etária, histórias assumem um papel essencial. As histórias contem conhecimento, experiências e emoções. O conteúdo audiovisual das series de televisão ou filmes é, também, tão fascinante como a leitura de um livro ou de peças de áudio.

    Os media podem, portanto, cumprir várias funções para as crianças. Eles são usados para entretenimento, informação e orientação em relação ao comportamento social. Eles também podem ser divertidos para as crianças. Ao mesmo tempo, é importante oferecer às crianças alternativas onde podem executar as mesmas funções sem os media, por exemplo, respondendo a perguntas, tocando e cantando juntos ou contando histórias. Dessa maneira, os media não recebem uma importância excessiva no dia a dia das crianças, mas assumem o papel de uma oferta suplementar.


    É sempre importante oferecer às crianças uma alternativa ao conteúdo tentador dos media. As crianças em idade pré-escolar, em particular, precisam de muito exercício e oportunidades para descobrir, explorar e pesquisar os que as rodeia.

    Ofertas alternativas que estão diretamente relacionadas com o conteúdo conhecido dos media são particularmente úteis nesse aspeto. Poderia, por exemplo, experimentar ver os programas infantis com seus filhos ou compilar uma história que eles ouviram. Mesmo os pequenos incentivos são, frequentemente, suficientes para despertar o entusiasmo nas crianças e direcionar o seu interesse para outras coisas..

  • Tipos de media e sua perceção

    Os diferentes tipos dos media podem ser subdivididos de acordo com os sentidos pelos quais eles são percebidos. Existem:

    media auditivos que são percebidos através do sentido da audição,

    media visuais que são percebidos exclusivamente através do sentido da visão,

    e media audiovisuais que usam tanto o sentido da audição como o sentido da visão.

    Além disso, existem media interativo, que abordam simultaneamente os canais sensoriais visuais e auditivos e também permitem a influência direta do utilizador sobre o que está a acontecer. Estes incluem as aplicações, jogos de PC e as páginas ou aplicações na Internet.

    As crianças usam os diferentes tipos de media disponíveis de acordo com seu apelo e potencial, e isso ocorre com diferentes intensidades. No caso dos media visuais puramente estáticos, como livros ou fotografias, os próprios utilizadores determinam por quanto tempo e em que ritmo lidam com o meio. Em meios visuais e audiovisuais dinâmicos, por outro lado, o meio determina o tempo de uso e o ritmo de perceção.

    Os media visuais, em particular, são conscientemente selecionados pelas crianças em idades muito precoces e usadas de forma independente. O grau de independência e autodeterminação, por outro lado, só aumenta nos media interativos com crianças depois da idade pré-escolar.

    No entanto, pode-se observar que as crianças a partir dos dois anos de idade estão interessadas em todos os tipos de media, percebem-nos conscientemente e utilizam-nos desde que estejam disponíveis e acessíveis.

    Quiz - Media types

    Drag the media types on the pictures.

  • Os Media são Fascinantes

    Adicionalmente, os media inspiram as crianças nessa faixa etária com características diferentes que correspondem, normalmente ao interesse das crianças nessa faixa etária específica. Dependendo do tipo de media, as crianças ficam fascinadas por vários fatores.

    Media auditivo como o MP3 ou CDs e os media visuais como as fotografias ou os livros geralmente estão disponíveis gratuitamente para crianças entre três e seis anos de idade. As crianças geralmente podem selecioná-los e usá-los por si próprias. A possibilidade de decidir por si mesmas explica parte do fascínio que os media exercem sobre elas. Por um lado, os meios, puramente, auditivos e visuais apresentam apenas um canal sensorial, razão pela qual a densidade de informação é reduzida. Por outro lado, isso ajuda a melhorar a concentração e a atenção das crianças mais novas. Além disso, os meios auditivos e visuais permitem que as crianças relaxem, uma vez que as histórias em áudio e os livros ilustrados são geralmente desfrutados num ambiente familiar, quando vou dormir.


    A decisão sobre quais as ofertas dos media que são adequadas deve sempre ser tomada por adultos. As crianças com idades entre os três e os seis anos ainda não são capazes de selecionar de forma independente o conteúdo dos media adequado à sua idade. No entanto, recomendo que permita que as crianças escolham e avaliem o conteúdo dos media adequado de uma lista pré-selecionada. Dessa forma, as crianças aprendem a dizer conscientemente quais os conteúdos que não gostam e do que gostam. Isso fortalece a relação entre a avaliação e seleção dos media independente por parte da criança.


    A combinação de som e imagem, as rápidas sequências de imagens e o manuseamento de medias audiovisuais inspiram as crianças. Os pais também atuam como modelos no seu fascínio pelos media audiovisual.

    As crianças são atraídas pelos media interativos, como aplicações nos dispositivos móveis e jogos para PC, porque podem ter uma voz ativa e intervir diretamente. Eles ficam emocionados quando podem influenciar elementos e personagens e experimentar diretamente os resultados das suas ações. Além disso, o manuseio simples e intuitivo dos ecrãs através do toque é particularmente atraente para as crianças, pois elas podem operar esses dispositivos por conta própria muito rapidamente. Isso cria novas oportunidades de jogo para as crianças e garante o reconhecimento, por parte dos adultos, do seu entusiasmo.

    O entusiasmo das crianças também é influenciado por fatores externos - como é o caso dos media audiovisuais. Dependendo da frequência com que os adultos usam os seus tablets e telemóveis inteligentes ou de como o uso dos media é regulado, o entusiasmo das crianças por esses media aumenta ou diminui.


    Incentive até mesmo crianças muito jovens a desenvolverem as suas próprias opiniões sobre os media e seu conteúdo. Para ajudar nesse sentido, pode ter conversas com as crianças, nas quais, por exemplo, são discutidas experiências concretas, conteúdos ou personagens dos media que as crianças gostam ou não gostam. Dê às crianças a oportunidade de se expressarem e refletirem sobre as suas preferências e interesses sobre determinados conteúdos dos media, tipos de media, personagens e situações de uso. Essas conversas são ainda mais benéficas para as crianças se conseguir o envolvimento conscientemente com o ponto de vista das crianças e levar a sério as suas preferências, interesses e considerações.

  • Fatores que afetam o processo e a seleção dos media em crianças pequenas

    A capacidade das crianças de perceber, processar, compreender e selecionar os media está intimamente relacionada à sua riqueza de experiências e nível de desenvolvimento, bem como ao seu ambiente cultural e social. Habilidades básicas importantes são o pensamento abstrato, o desenvolvimento linguístico e a capacidade de se concentrar.

    O conteúdo e os personagens das histórias também desempenham um papel importante. Principalmente os temas que despertam o interesse devido ao conteúdo quotidiano. Chamam a atenção que se, por exemplo, o medo de ficar sozinho ou ser pequeno e o desejo associado por mais independência for abordado de uma maneira apropriada à idade as crianças podem estabelecer uma relação clara com a sua realidade de vida.

    Devido ao desenvolvimento de capacidades de memória e atenção, crianças de três a seis anos estão particularmente interessadas em ofertas dos media de curta duração e com dramaturgia simples. O fato de certas ofertas dos media poderem ser ouvidas ou visualizadas novamente contribui para o aumento do interesse das crianças por esses media. Isso resulta em reconhecimento e estabelecimento de memórias de longo prazo.

    A fase individual de desenvolvimento da criança é importante para processar o conteúdo dos media. As crianças devem interpretar e decifrar as mensagens transmitidas e colocar, avaliar e, finalmente, entender o que percebem em conexão com sua própria realidade de vida. 

  • Experiências excessivas do uso dos media por crianças pequenas

    Violência

    No uso diário dos media, as crianças podem, por exemplo, encontrar cenas de violência. Nos programas de desenhos animados a violência fictícia é geralmente apresentada de uma maneira tolerável e divertida para crianças pequenas. No entanto, as aparências também podem ser enganadoras, já que alguns papéis bonitos e animados também aparecem nos programas para adultos. As crianças podem então ficar assustadas, perturbadas e chocadas com a violência retratada, a escolha grosseira das palavras e também por ações sexualizadas, pois associam os personagens aos mundos dos media conhecidos por eles.

    Mesmo os desenhos animados mais "inocentes" que abordam crianças muito jovens contêm cenas de violência e atrito entre os personagens que podem assustar as crianças.


    Se cenas violentas são mostradas com pessoas reais, por exemplo em filmes de ação ou thrillers policiais, crianças pequenas geralmente não são capazes de classificar o que consideram fictício e assistir de forma independente. É bem verdade que as crianças muitas vezes têm a sensação de que elas próprias fazem parte do enredo, e é por isso que tais cenas podem desencadear sentimentos extremamente perturbadores. Este efeito aumenta quando a violência apresentada é dirigida contra as crianças.

    A violência contra os animais também pode produzir sentimentos assustadores e perturbadores nas crianças, pois geralmente são muito sensíveis, especialmente em relação aos animais mais fracos e pequenos. Eles podem ficar muito assustados se virem, por exemplo, num filme animal como um predador rasga um animal indefeso. Como as crianças entre os três e os seis anos também se assumem como pequenas e indefesas, elas podem desenvolver sentimentos muito fortes se forem expostas a tais cenas. O mesmo se aplica a séries ou filmes nos quais um animal desempenha o papel principal. Porque as crianças se identificam fortemente com o papel principal, elas experimentam perigos e aventuras, pelas quais este animal passa, muito intensamente.

    Nos noticiários, a violência real contra as pessoas geralmente ocorre, por exemplo, quando se reporta a fome, desastres naturais ou guerras. Às vezes, as imagens dramáticas e violentas em sequência rápida aparecem para as crianças geralmente sem conexão e é difícil para elas resolvê-las. Portanto, essas imagens violentas nos noticiários podem ter um efeito traumatizante e as crianças não devem ser expostas a elas.


    A fim de ajudar as crianças a processarem as experiências dos media, especialmente as negativas, como educador pode incentivar as crianças a trocarem experiências dos media umas com as outras. No grupo da manhã, imagens preparadas ou perguntas específicas podem ser particularmente adequadas.

    Media Conteúdo Emocionante nos Media

    No entanto, as próprias crianças também sentem e praticam a agressividade e a raiva. Não é fácil para elas se controlarem e precisam de aprender a lidar com esses sentimentos. As ofertas de media nas quais as personagens jogam, e em cujos sentimentos a criança se identifica, podem ajudar a encontrar estratégias de comportamento para lidar com a situação e repensar os próprios sentimentos.

    Ser capaz de seguir as excitantes histórias de aventura e ficar fascinado pelo rumo dos eventos já é divertido e alegre para as crianças mais novas. Por causa de seu desenvolvimento cognitivo e emocional, as crianças com idades entre os três e os seis anos nem sempre podem distanciar-se da história. Com um conteúdo dos media muito excitante, o limite do que é suportável pode, portanto, ser facilmente ultrapassado por crianças.

    Deve-se considerar também que as crianças são particularmente sensíveis a cenas e histórias que tocam nos seus próprios medos de separação e perda. Situações tristes, como no cartoon animado do Bambi, quando sua mãe morre, pode instantaneamente sobrecarregar e assustar as crianças mais novas.


    Além do processamento concreto de experiências dos media (negativas), as crianças também podem ter a oportunidade de processarem as suas experiências dos media de forma independente. Por exemplo, as suas experiências também podem ser discutidas enquanto faz artesanato e pinta ou enquanto se vestem e interpretam personagens ou situações.

    Temível vs. Fascinante

    As crianças com idades entre os três e os seis anos também são frequentemente sobrecarregadas por barulhos altos e repentinos, longos arcos de tensão e imagens sombrias. Podem ser particularmente assustadoras as cenas que criam uma atmosfera assustadora com sons, música e imagens sombrias.

    Figuras dos media assustadoras, como monstros, vampiros, demônios, bruxas ou fantasmas, também podem ser assustadoras e inquietantes para crianças pequenas.

    Ao mesmo tempo, esses seres sobrenaturais com os seus poderes mágicos têm um certo fascínio para as crianças. Por exemplo, as crianças classificam figuras como "Gasparzinho", de Otfried Preußler's, ou a "Rua Sésamo", de Graf Zahl, de perturbadoras e assustadoras, mas elas não rejeitam completamente as cenas assustadoras e emocionantes. Momentos individuais, emocionantes, seguidos de fases de relaxamento, também têm o seu fascínio para as crianças.

    No contexto do conteúdo dos media violento e excitante, um final feliz tem um grande peso. Para o processamento emocional do conteúdo mediático e o desenvolvimento de segurança e confiança, um resultado positivo das histórias nas quais os fracos emergem como heróis, o fantasma se dissolve e os bons triunfos sobre o mal são muito importantes para as crianças pequenas.

    Com a expansão das experiências dos media, as crianças podem aprender que até mesmo os eventos emocionantes, assustadores e dramáticos terminam bem e que ninguém se magoa de forma seria. É importante desenvolver esse conhecimento para que as histórias emocionais possam ser bem processadas pelas crianças.


    Quando conversar com seus filhos sobre as experiências negativas dos media, mostre que os adultos também têm medo de certas coisas e que eles não precisam de sentir-se envergonhados por terem medo. Isso facilita o processo de procura de ajuda, por parte das crianças, quando as experiências dos media as sobrecarregam.

  • Recursos das ofertas dos media adequados para as crianças

    Os pais são os principais responsáveis pela seleção de conteúdos dos media adequados, especialmente para crianças menores de seis anos de idade.

    Para proteger as crianças de conteúdos que não podem compreender ou processar é necessário apoiá-las e acompanhá-las no uso do cinema, da televisão e da Internet. Além disso, uma pré-seleção sólida dos conteúdos dos media apropriados ao desenvolvimento e à idade é de grande importância, especialmente para crianças entre três e seis anos de idade.

    Geralmente não pode ser avaliada de forma imediata se uma oferta dos media é adequada para crianças.


    No entanto, alguns fatores podem ajudá-lo a orientar as suas decisões a fim de fazer uma boa escolha na ampla variedade dos media disponíveis:

    • Pode classificar o conteúdo temáticos dos media com base no conteúdo infantil.
    • Pode incentivar as crianças a descobrir os media fazendo eles mesmos produtos media e, assim, estimular sua imaginação.
    • As crianças têm uma grande necessidade de informações e conhecimentos e ficam entusiasmadas quando conseguem satisfazer essa necessidade por meio da ofertas dos media.
    • O conteúdo dos media não precisa necessariamente de incluir oportunidades de aprendizagem para ser adequado para crianças.

    É essencial que as ofertas dos media para crianças pequenas não contenham nada que possa amedrontá-las ou sobrecarregá-las . Conteúdos impróprios, como violência contra humanos e/ou animais, ameaças e barulho alto ou personagens assustadores devem ser evitados. A tensão da história também deve ser clara e concisa. A fase de desenvolvimento das crianças deve ser tida em consideração, pois uma oferta dos media pode sobrecarregar algumas crianças e, ao mesmo tempo, pode prejudicar gravemente outras crianças da mesma idade (ex. criar medos ou receios).

    Em Portugal a lei regula a idade adequada para os filmes, músicas e jogos de computador por crianças pequenas e jovens. A Inspeção Geral das Atividades Culturais (IGAC) é a entidade responsável por classificar os videojogos, filmes e media lançados no mercado Português de acordo com a faixa etária recomendada do público recetor da informação, tendo em consideração aspetos como, por exemplo, a violência ou a linguagem. Para a classificação dos videojogos a IGAC recorre a uma escala adaptada do Sistema Europeu PEGI (Pan European Game information) apresentando diferentes patamares, que refletem a idade mínima recomendada para o consumidor e não o grau de dificuldade, entre “maiores de 4 anos", "maiores de 6 anos", maiores de 12 anos", “maiores de 16” e "maiores de 18 anos". Contudo, é importante salientar que deve ter sempre em consideração o desenvolvimento individual de cada criança quando for selecionar um recurso media.

  • O que deve ter em consideração ao selecionar os Media

    Estilo Narrativo

    Para poder acompanhar bem o enredo de uma história, as crianças entre os três e os seis anos de idade têm maior probabilidade de compreender um estilo narrativo simples e linear, sem saltos ou retrocessos. Uma riqueza de personagens ou numerosas mudanças de lugar geralmente não são compreensíveis por crianças nessa faixa etária. Também é importante que as histórias tenham sempre um final positivo.

    Linguagem

    Uma linguagem amiga da criança deve ser fornecida, principalmente para os media de áudio , mas também para outros tipos de media . O vocabulário comum das crianças e frases curtas são mais propícias para as crianças. Ao mesmo tempo, sugestões variadas como novos conceitos, variações vocais, bem como ritmo e jogo de palavras são enriquecedores para as crianças. A linguagem escrita também pode ser instrutiva nas ofertas dos media para crianças de três a seis anos. Letras coloridas, grandes e divertidas podem despertar a curiosidade quando lidam com sinais de escrita.

    Personagens

    Crianças menores de seis anos preferem personagens unidimensionais. As personagens dos media devem, portanto, ser claramente classificadas nas categorias boas e más pelas suas ações, sua atitude e sua aparência. No entanto, isso não significa que as personagens não devam ser excitantes e variadas. O oposto é o caso: as personagens devem entreter, encantar e surpreender as crianças. A cooperação social das personagens dos media também é importante para as crianças. As características populares das personagens são, por exemplo, que elas se encorajem umas às outras ou que se ajudem mutuamente. As personagens assumem o papel de modelos e companheiras e podem ajudar as crianças a lidarem com temas atuais.

    Duração

    Histórias e unidades narrativas curtas são desejáveis, uma vez que a duração das ofertas dos media não deve colocar muita pressão sobre a capacidade das crianças de se concentrarem e prestarem atenção. Se o período de uso não for determinado pela própria oferta dos media, por exemplo, nas séries de televisão o período deve ser discutido e controlado de antemão.

    Também é importante

    Ao selecionar as ofertas dos media para crianças entre três e seis anos de idade deve-se tomar cuidado para garantir que elas contêm o mínimo de publicidade possível. As crianças mais novas consideram difícil distinguir as mensagens publicitárias e o conteúdo real. A propaganda para adultos, em particular, pode ser uma fonte de preocupação para as crianças devido ao conteúdo inadequado.

    As aplicações infantis permitem que as crianças manuseiem e controlem as suas ações, estes recursos adicionais dos media são muito apreciados pelas crianças. Contudo, estas aplicações para crianças deverão sempre ser utilizadas quando supervisionadas por adultos ou irmãos mais velhos, ainda mais faz sentido se o conteúdo interativo for claramente visível e a navegação for divertida (por exemplo, usar símbolos em vez de escrever).

    Além disso, a leitura de avaliações dos media escritas por especialistas nos media pode ser muito útil para os profissionais que trabalham em jardins de infância. Um grande número de iniciativas e agências de testes estão intensamente preocupadas com a avaliação das diferentes ofertas e explicam os critérios mais importantes para o seu julgamento.

    Ao conversar com a criança sobre o seu interesse específico dos media, os adultos podem entender melhor as opiniões da criança e levá-las em consideração na pré-seleção das ofertas dos media apropriadas.

    A escolha certa dos media para as crianças é um tema importante e frequentemente discutido nas famílias. Para ajudar os pais devidamente interessados na sua avaliação, os jardins de infância podem oferecer conselhos e informações se estiverem.

  • Aprender sobre os Media

    As crianças com idades entre os três e seis anos são, por natureza, muito recetivas e curiosas para aprenderem o máximo possível sobre o seu ambiente. Para entenderem e compreenderem o mundo, elas fazem muitas perguntas. As crianças mais novas geralmente não fazem distinção entre tecnologia e natureza ou entre ambientes sem vida e vivos. Elas percebem o seu ambiente como uma unidade.

    Claro, isso também se aplica aos media. Para as crianças, os meios de comunicação mantêm uma relação concreta com o meio ambiente porque são onipresentes na vida quotidiana. Assumir esse relacionamento pode ser muito gratificante para o jardim de infância. Neste ponto, um (primeiro) acesso à tecnologia pode ser estabelecido, o qual pode ser construído independentemente do género. Uma experiência ativa desempenha um papel importante para as crianças em idade pré-escolar. Elas consideram atraente explorar a tecnologia dos media e experimentá-la. Computadores , telefones e teclados antigos são objetos ideais para serem explorados, desmontados e remontados com todos os sentidos presentes.

    Aproveite a curiosidade natural das crianças. As crianças fazem perguntas o tempo todo sobre as coisas que encontram neste mundo. Claro, isso também inclui os media. Ouça as perguntas das crianças e tente responder efetivamente às questões. Através da referência direta ao ambiente da criança pode fornecer explicações iniciais sobre como os media funcionam.

    Ao aprenderem, as crianças têm a oportunidade de transferirem de forma independente fatos conhecidos para novos conhecimentos e reconhecer essas conexões. É importante que as crianças formulem as suas próprias conclusões e descobertas e façam as suas próprias suposições. Neste ponto, as especulações sobre o que os media realmente são também podem ser discutidas.

    Um passo importante para entender os media é a experiência de que os media não são um objeto mágico nem um ser vivo, mas são feitos por seres humanos.

    Quando estiver a conversar com seus filhos sobre as experiências negativas nos media, mostre-lhes que os adultos também têm medo de certas coisas e que não precisam ter vergonha de ter medo. Isso facilita a que, quando as crianças tiverem experiências dos media que as sobrecarrega, que procurarem a ajuda dos adultos.

  • Aconselhamento sobre o conteúdo dos media no jardim de infância

    Nas famílias, os meios de comunicação estão presentes diariamente de várias formas e são, geralmente, acessíveis às crianças. O uso dos media por crianças já é um problema em muitas famílias, já que muitas vezes existem dúvidas relativamente ao conteúdo e processamento dos media por parte das crianças, assim como tempos de uso e acesso.

    Os jardins de infância podem fornecer um apoio considerável neste domínio, oferecendo informações e conselhos sobre o assunto. Os pais podem receber dicas práticas sobre como lidarem com as ofertas dos media e trocarem informações sobre as experiências dos media dos seus filhos.

    O foco principal deve ser a familiarização das crianças com o uso apropriado dos media de acordo com o seu desenvolvimento e idade, bem como com o processamento emocional das suas experiências com os media.

    Durante a discussão com profissionais de educação de infância pode ser muito interessante para os pais aprenderem como as experiências dos media dos seus filhos são especificamente abordadas e tratadas na vida educacional quotidiana. Além disso, os pais podem ser aconselhados sobre os aspetos psicológicos do desenvolvimento, bem como as características específicas do desenvolvimento e a idade associadas à forma como processam as suas experiências dos media. Também pode ser útil para os profissionais de jardim de infância e pais trocarem informações sobre as ofertas dos media adequadas ou regras úteis de uso dos media.